26 de ago de 2012

XII Festival Cultural Escoteiro é sucesso de público e de apresentações

  
Com uma grande participação de público foi realizado sábado, 25, em Passo Fundo o XII Festival Cultural Escoteiro, organizado pelos integrantes do Grupo Escoteiro Maragatos. O evento contou com a participação dos Grupos Escoteiros Acauã e Tupinambás de Erechim, Maragatos e Guaranis de Passo Fundo, Cacique Marau de Marau, Araucária de Tapejara e Guaramirin de Fontoura Xavier.
Ficou definido pelos representantes dos grupos presentes que o XIII Festival Cultural Escoteiro será realizado no próximo ano em data a ser definida, na cidade de Erechim, o mesmo será organizado pelo grupo Escoteiro Tupinambás.

Classificação geral
Ramo Lobo
1º lugar Paródia Grupo - Maragatos - Passo Fundo
2º lugar Paródia Grupo - Guaranis - Passo Fundo
1º lugar Inédita Grupo - Maragatos - Passo Fundo
2º lugar Inédita Grupo - Guaranis - Passo Fundo

Ramo Escoteiro
1º lugar Paródia Grupo - Tupinambás - Erechim
2º lugar Paródia Grupo - Maragatos - Passo Fundo
1º lugar Inédita Grupo - Maragatos - Passo Fundo
2º lugar Inédita Grupo - Tupinambás - Erechim

Ramo Sênior
1º lugar Paródia Grupo - Guaramirim - Fontoura Xavier
2º lugar Paródia Grupo - Maragatos - Passo Fundo
1º lugar Inédita Grupo - Guaramirim - Fontoura Xavier
2º lugar Inédita Grupo - Tupinambás - Erechim

Ramo Pioneiro
1º lugar Paródia Grupo - Guaranis - Passo Fundo
2º lugar Paródia Grupo - Maragatos - Passo Fundo
1º lugar Inédita Grupo - Guaranis - Passo Fundo
2º lugar Inédita Grupo - Maragatos - Passo Fundo

18 de ago de 2012

Sêniors do Tupinambás recebem a "Correia de Mateiro"

Sábado, 18 de agosto, durante a cerimônia da Bandeira, foi realizada a entrega da Insígnia de Modalidade – “Correia de Mateiro” para a guia Raquel Brito Vacaro e ao sêniors Leonardo Paini Pavlak, Rodolfo Carlos Petzhol Junior e Igor Rosset Albuquerque, pela sua dedicação e conquista dentro dos objetivos e propostas do Movimento Escoteiro Mundial.
Os Sêniors receberam a Insígnia Modalidade pela diretoria de nível local por proposta dos Escotistas da Seção e especialmente recomendado pela Corte de Honra de sua Tropa. Para receber a Correia de Mateiro o jovem deve ter conquistado a Insígnia Mundial do Meio Ambiente em qualquer das suas etapas e pelo menos oito especialiadades. São obrigatórias as de Excursões, Primeiros Socorros e outra relacionada a Modalidade Básica, essas em nível 3.
A Correia de Mateiro será usada até o jovem conquistar o Cordão Dourado.
Na oportunidade, Paulo Hübner enalteceu a dedicação dos jovens em busca da conquista, bem como a ação realizada onde os Sêniors confeccionaram suas próprias Correias de Mateiro, o couro foi doado ao grupo e a mão-de-obra foi realizada em uma oficina de artesanato, gerando uma economia de aproximadamente R$ 400,00 aos cofres do GET que seriam gastos com aquisição de um lote desse material.

Parabéns ao Chefe Daniel Vacaro pela ideia e aos Sêniors pela iniciativa, cumprindo assim com 9º artigo da Lei Escoteira "O Escoteiro é econômico e respeita o bem alheio."

13 de ago de 2012

Dias dos Pais do Tupinambás em grande animação e pioneiria escoteira




O Dia dos Pais do 44º Grupo de Escoteiros Tupinambás, comemorado no último sábado, 11 teve aventura, brincadeiras e muita descontração na sede rural do grupo. Através de pioneirias escoteiras, uniu-se o coleguismo, a descontração e muita animação dos novos/velhos escoteiros.
Para desenvolver as atividades elaboradas pelas chefias das tropas e da Alcatéia, os pais foram reunidos por equipes e tiveram que realizar tarefas que normalmente seus filhos fazem no movimento escoteiro.
As equipes participaram de 7 bases. Na base “1” os pais tiveram que atravessar o rio Suzana de olhos vendados e guiados apenas por uma corda e entravam na pista de rastejamento de 20 metros.
Na base “2” com a "falsa baiana" retornavam ao outro lado do rio e, na base “3” recebiam orientações sobre sinais de pista para seguir uma trilha que guiava até a base “4”.
Na base “4” ocorria a corrida da Centopéia e na base “5” ocorria a Bodocada no Bandarlog (acertar uma predada com bodoque num macaco pendurado) e o Basquete maluco.
Na base “6” as equipes fizeram uma oficina de nós e após, na base “7”, construíram uma biga com troncos de eucaliptos e realizaram uma corrida contra o cronômetro. No final foi servido um coquetel de confraternização.

Carlos Alberto da Silveira
Assessoria de Imprensa G.E. Tupinambás